Liderança Xucuru-Kariri é assassinada na porta de casa; Suspeitos são presos, mas são soltos

Railton Da Silva

Uma liderança do povo Xucuru-Kariri foi assinada na porta de casa com requintes de maldades e crueldades com tiros e facadas na madrugada desta terça-feira, 11. João Natalício dos Santos Xucuru-Kariri tombou na Aldeia Fazenda Canto, na cidade de Palmeira dos Índios, agreste alagoano.

Dois suspeitos ainda foram detidos e encaminhados à Delegacia Regional, onde foram ouvidos e, informações coletadas junto à agentes – pelo telefone – dão conta que, não haviam provas suficientes que sustentasse a prisão e eles foram soltos. O agente não soube informar se os assassinos estariam a mando de alguém, se o crime foi político ou passional, mas assegurou que nenhuma linha esta sendo descartada.

Ainda não se tem informações precisas ou detalhadas, mas de acordo com o missionário Zennus Dinys, do Conselho Indigenista Missionário, “o que se sabe é que o crime foi por volta das 2h30 e 3h quando alguém que o conhecia chamou seu João que estava se arrumando para ir ao roçado, quando ele saiu e aconteceu o que aconteceu”.

Outra pessoa estaria na residência do seu João, mas, de acordo com informações do agente da delegacia, estaria dormindo e não teria visto ou ouvido o ocorrido, mas que apenas ao se acordar e sair para fora de casa viu o corpo.

Ainda de acordo com Dinys, seu João estava participando do II seminário pedagógico: a caminhada dos guerreiros e guerreiras Xucuru-Kariri que tinha o objetivo de discutir os problemas da terra, uma vez que a tribo esta em processo de luta pela demarcação da terra indígena.

O conflito pela terra se estende há anos e a demarcação de 7.073 hectares vem gerando sério embates com os latifundiários, uma vez que dentro da demarcação serão retomadas mais de 400 propriedades e, entre eles, de pessoas influentes nos poderes, inclusive, judiciário.

“Ele era uma pessoa muito querida e amável, um guerreiro na luta pela demarcação e retomada do território indígena e essa disputa é diretamente com o poder”, destacou Dinys.

Seu João Natalício morreu no dia de luta e resistência indígena em memória o dia de morte de Maninha Xucuru-Kariri que há dez anos – 11 de outubro de 2006 – nos deixou em consequência de uma parada cardíaca e negligência no atendimento médico em Palmeira dos Índios.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s